Uma História, uma só paixão

7 de outubro de 2012

Galo massacra Figueirense com direito a show de R49

Foto: Google Imagens

Falar o que de Ronaldinho Gaúcho? Gênio? Maestro? São adjetivos que podem ter virado lugar-comum para descrever algum momento da vitoriosa e brilhante carreira do craque. Mas fazer o que se ele ainda insiste, para a alegria daqueles que apreciam o bom futebol, em brindar o público com atuações sensacionais? E, para os mais de 16 mil de torcedores no Independência, a noite de sábado foi mais um desses dias nos quais R49 esteve inspirado. O meia comandou a goleada de 6 a 0 sobre o Figueirense, com três belos gols e duas assistências. Réver, Bernard e Carlos César também balançaram a rede.
Apoiado pela torcida que lotou o Independência, o Atlético partiu para a pressão logo que o árbitro apitou o início de jogo. Numa das disputas na área do Figueirense no princípio da partida, Jô pediu pênalti, mas o árbitro nada marcou.
Mas foi dos pés de Ronaldinho Gaúcho, que organizava e distribuía bem as jogadas, que o Alvinegro começou a dar show no Independência. E que show. Cobrança de escanteio. R49, claro, na bola parada. Ele rolou para Bernard, que voltou a bola para o meia. Com a perna direita, deu um chute de fora da área, quando ninguém esperava. A bola viajou e, caprichosamente, entrou no canto superior de Wilson. Golaço. Inevitável não lembrar do gol de Ronaldinho na Copa de 2002, nas quartas de final, na vitória de 2 a 1 do Brasil sobre a Inglaterra. Neste sábado, a pergunta que já foi feita milhares de vezes ao meia poderia ser refeita: “Quis cruzar ou mandar para o gol”? Pouco importa.
Mesmo com a vantagem no placar, o Galo não deixou de atacar. Aos 23 minutos, Ronaldinho Gaúcho cobrou falta da intermediária e colocou a bola na cabeça de Réver. O capitão atleticano testou com força: 2 a 0. O show de Ronaldinho Gaúcho no Independência não parou por aí. Sete minutos depois, o craque cobrou falta a poucos metros da grande área. Com um finalização por baixo da barreira, o camisa 49 colocou no canto esquerdo de Wilson, concretizando a goleada.
Com apenas uma alteração na volta para o segundo tempo, na tentativa de mudar alguma coisa, o técnico Márcio Goiano sacou Guilherme para a entrada de Julio César. E foi dele a primeira boa chance de gol da partida, aos dois minutos. Mas ficou nisso. O rolo compressor atleticano voltou a atuar com toda a força da etapa inicial.
Porém, foi o Galo que balançou as redes. Ronaldinho Gaúcho cobrou escanteio e Jô sofreu pênalti de Sandro. O camisa 49 partiu para a cobrança e chutou rasteiro no canto direito de Wilson: 4 a 0.
O espetáculo de Ronaldinho teve mais um ato aos 22 minutos do segundo tempo. O meia dominou a bola na intermediária de defesa e partiu. Depois de deixar vários adversários para trás, ele enfiou bola com precisão para Bernard, que finalizou na saída do goleiro: 5 a 0.
E teve espaço para mais. Carlos César, que tinha acabado de entrar no lugar de Marcos César, não decepcionou quando deixou o dele, e fez um golaço. O lateral se livrou da marcação de Sandro com um chapéu, trocou a bola de perna e mandou para o fundo das redes. O Figueira ainda tentou diminuir, mas o bandeira marcou impedimento. E o placar terminou, mesmo, com a goleada do Galo em casa, vivo em busca do título.
O próximo compromisso do Galo será nesta quarta-feira, contra o Internacional, no Beira-Rio, às 22h (de Brasília). O Figueira, no mesmo dia, mas mais cedo, às 19h30m, recebe o igualmente desesperado Atlético-GO no Orlando Scarpelli.

Compartilhe com seus amigos:
Sobre o Autor:
Ana Paula Xavier

Ana Paula Xavier

Escritora do Galo Forever. Fanática pelo CAM. Adoro minha família e amigos. Personalidade forte.

0 comentário(s):

Postar um comentário

Redes Sociais

Total de visualizações de página

Arquivo do blog

Receba novidades por e-mail

Copyright © Galo Forever Published By Gooyaabi Templates | Powered By Blogger

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com