Uma História, uma só paixão

1 de abril de 2013

Galo avassalador atropela o Tupi e se classifica as semifinais


Foto: GoogleImagens



Caiu no Horto, 'tá' morto! O cântico que vem ecoando desde a temporada passada no Independência novamente foi ouvido no jogo do Atlético. E nem o clima de Domingo de Páscoa amenizou o massacre. Avassalador, o time de Cuca goleou o Tupi por 4 a 1, na 11ª vitória consecutiva no ano, a 42ª partida sem derrota como mandante. Resultado que garante o Galo nas semifinais do Mineiro, a três rodadas do fim da primeira fase. A única notícia ruim ficou por conta de Bernard, que saiu de campo com o ombro esquerdo lesionado.
Os gols do Atlético foram marcados por Réver, Jô, Josué e Ronaldinho. O zagueiro e o centroavante são os artilheiros do clube na temporada, ambos com seis gols. A variação de jogadas do Galo resultou em gols bem trabalhados. Réver fez de fora da área, Jô usou a cabeça para marcar, Josué aproveitou rebote do goleiro e Ronaldinho fez após corta-luz de Jô.
O Atlético começou o jogo com o Tupi com uma jogada ensaiada que tem se repetido nos últimos jogos. Após a saída de bola, Jô correu para a intermediária adversária e escorou, de cabeça para a área. Após bate e rebate, o time quase marcou. O Alvinegro da capital voltou a ameaçar o Tupi, aos dois minutos. O ataque trocou passes e Tardelli acionou Jô, que finalizou forte de direita, mas parou em Felipe. 
Mas uma escrita vem sendo mantida. Se os atacantes não conseguem marcar, aparece Réver. Aos 17 minutos, depois de uma troca de passes na entrada da área, o capitão alvinegro bateu de chapa, de primeira, e colocou no ângulo. Tadeu nada pôde fazer. Foi o quinto gol do defensor no Mineiro, que divide a artilharia da competição com Fábio Júnior, do América-MG, e o sexto dele na temporada. Ficou a um de se igualar a Luizinho, ex-jogador do Galo na década de 80, como o zagueiro que marcou mais vezes na história do clube - o recordista tem 21.
O segundo gol do Atlético veio após cobrança de falta de R10. Ele acertou o travessão e o companheiro Jô aproveitou para pegar o rebote. Ele dividiu com o goleiro, pelo alto, e a bola foi parar no fundo das redes: 2 a 0.
O time de Juiz de Fora não conseguia fugir da pressão do Atlético-MG e era completamente envolvido pela constante movimentação atleticana. Com a vitória parcial, o clima era de festa para a torcida, mas um lance assustou quem estava no estádio: Bernard dividiu com o zagueiro Thales e caiu de mau jeito, sofrendo uma luxação no ombro esquerdo, que se deslocou. O torcedor lamentou bastante quando R10 fez sinal pedindo mudança. Luan entrou em campo sob o temor alvinegro de perder um dos titulares para a Libertadores. O departamento médico do clube alertou que o jogador é dúvida para a partida de quarta-feira.
O Atlético fez uma tabela com a bola no alto, com participação de Tardelli, Ronaldinho e Luan, mas o camisa 9 finalizou para a defesa de Tadeu. Aos 43, R10 tentou enganar os adversários e bater por baixo da barreira, mas os zagueiros não pularam. 
Jô passaria Réver na artilharia logo aos seis minutos da segunda etapa se não fosse o erro do auxiliar Marcus Vinicius Gomes, que assinalou impedimento inexistente no gol do atacante atleticano. Quatro jogadores do Tupi davam condição ao jogador do Atlético.
Substituto de Pierre, o volante Josué estreou balançando as redes. Após finalização de Jô, ele pegou o rebote na área e fez o seu gol: 3 a 0. Por ironia do destino, o titular Pierre ainda persegue o primeiro gol com a camisa do Atlético. 
Mas faltava o 'dele'. Depois de ter sido poupado diante do Nacional, em Patos de Minas, Ronaldinho Gaúcho voltou ao time com a sua marca registrada: o toque de classe que desconcerta o goleiro. O lance começou em um impedimento do atacante Diego Tardelli não marcado pelo mesmo assistente que anulou o gol de Jô. O camisa 7 ainda fez um corta-luz antes do toque fatal de R10 na entrada da área, aos 18. Na comemoração, careta em homenagem ao ex-jogador Lela, pai dos irmãos Alecsandro e Richarlyson, seus colegas de time.
Após o quarto gol, o Galo passou a controlar as energias. Com as saídas de Ronaldinho e Tardelli, o técnico deu oportunidades a Guilherme e Alecsandro. Em jogada dos dois reservas, Guilherme quase fez o quinto gol do Atlético. 
Aos 40, Guilherme perdeu chance clara. Ele tentou encobrir o goleiro, pegou a sobra, mas acertou a trave, sem ter ninguém a sua frente. No fim, Alonso, do Tupi, bateu falta por baixo da barreira e fez o gol de honra dos visitantes. 
Compartilhe com seus amigos:
Sobre o Autor:
Ana Paula Xavier

Ana Paula Xavier

Escritora do Galo Forever. Fanática pelo CAM. Adoro minha família e amigos. Personalidade forte.

0 comentário(s):

Postar um comentário

Redes Sociais

Total de visualizações de página

Arquivo do blog

Receba novidades por e-mail

Copyright © Galo Forever Published By Gooyaabi Templates | Powered By Blogger

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com