Uma História, uma só paixão

13 de maio de 2013

Galo não toma conhecimento da Raposa, goleia e está próximo do Bicampeonato Mineiro

Foto: Google Imagens


O Atlético largou na frente na decisão do Mineiro. Na tarde deste domingo, o Galo superou o rival Cruzeiro, por 3 a 0, mantendo a invencibilidade no Independência e confirmou seu objetivo de não brigar somente pela Libertadores, mas também pelo título Estadual. O time alvinegro mandou no jogo, criou os principais lances e só não saiu do Horto com um placar elástico porque o goleiro Fábio e os volantes Leandro Guerreiro e Nilton salvaram o time celeste, que perdeu a invencibilidade de 15 jogos em 2013. O time de Cuca ainda reclamou de três possíveis pênaltis não marcados pelo árbitro Luiz Flávio de Oliveira.
O duelo na tarde deste domingo, no Independência, apresentava duas equipes invictas. De um lado o Atlético defendia a série de 33 partidas sem sofrer derrotas no Horto. Do outro o Cruzeiro entrava em campo com o objetivo de seguir sem perder nesta temporada. A expectativa era de um grande confronto marcado por fortes disputas de bola e lances de perigo.
O primeiro gol do Galo saiu aos 14 minutos. Everton, pela esquerda, tinha a bola dominada, mas bobeou e perdeu-a para Marcos Rocha. Com a defesa desarrumada, o Atlético-MG aproveitou. O lateral tocou para Ronaldinho, que, de primeira, encontrou Jô dentro da área. O atacante dominou com a direita e tocou com a esquerda, para o fundo das redes de Fábio.
A pressão atleticana continuava forte. Endiabrado nas jogadas pelo lado esquerdo, Ronaldinho Gaúcho dava trabalho aos zagueiros Bruno Rodrigo e Leo com dribles curtos e tentativas de lançamento. Por sua vez, o Cruzeiro pouco conseguia encaixar lances com seus armadores, Diego Souza e Éverton Ribeiro. O time celeste só chegava à frente em lances de bola parada.
Os atleticanos ainda reclamaram de três penalidades não marcadas pelo árbitro Luiz Flávio Oliveira. Em pelo menos dois lances, tinham razão. No primeiro, Ronaldinho foi agarrado por Ceará, mas levou vantagem e finalizou. No segundo, Bruno Rodrigo segurou a camisa de Réver, em uma cobrança de escanteio.
Insatisfeito, Marcelo Oliveira fez duas alterações no intervalo. Punidos com cartões amarelos, Everton e Éverton Ribeiro deixaram o campo, para a entrada de Egídio e Ricardo Goulart. A intenção também era corrigir os problemas do primeiro tempo, já que os dois foram muito mal. O Cruzeiro até tentou, mas o Galo continuava melhor.
Em desvantagem, o Cruzeiro tentou criar algumas jogadas de perigo no início do segundo tempo. Aos três minutos, Dagoberto fez boa tabela com Egídio, que foi à linha de fundo e chutou cruzado em direção ao gol. Victor conseguiu fazer o corte para fora da área.
Mesmo em inferioridade, o Cruzeiro assustou. Aos 14 minutos, Diego Souza, da intermediária, soltou uma bomba. A bola explodiu na trave esquerda de Victor, que já estava batido. Mas foi um lance isolado. O Galo continuou soberano em campo e mais próximo do segundo gol. E ele veio aos 26 minutos. Ronaldinho Gaúcho, de novo, pela direita, cruzou para a área. Jô ganhou a disputa com Paulão, e a bola sobrou para Diego Tardelli, que concluiu: 2 a 0.
E o show atleticano no Independência não parou por aí. Aos 33 minutos, Diego Tardelli cruzou para a área e Jô cabeceou a bola na trave. Na sobra, Marcos Rocha bateu cruzado e aumentou o massacre alvinegro: 3 a 0. A partir deste momento, a torcida atleticana entoou o cântico “Caiu na rede é peixe, leleá, o Galo vai golear” e passou a ensaiar gritos de “Olé”.
Completamente perdido dentro de campo, o Cruzeiro ameaçou uma vez, em uma cobrança de falta e Egídio. Victor espalmou para linha de fundo. O Atlético, soberano, manteve a posse de bola, a calma e tranquilidade para evitar qualquer chance do rival fazer gol. Com o fim do jogo, festa da torcida alvinegra no Independência.
Compartilhe com seus amigos:
Sobre o Autor:
Ana Paula Xavier

Ana Paula Xavier

Escritora do Galo Forever. Fanática pelo CAM. Adoro minha família e amigos. Personalidade forte.

Um comentário:

  1. Olá, Ana Paula!
    Onde filho chora e mãe não vê! Foi como uma mãe que leva o filho à creche pela primeira vez e o deixa. Chora, esperneia... Mas não tem jeito! Tem que passar por isso. www.euvistoacamisadogalo.com.br

    ResponderExcluir

Redes Sociais

Total de visualizações de página

Arquivo do blog

Receba novidades por e-mail

Copyright © Galo Forever Published By Gooyaabi Templates | Powered By Blogger

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com