Uma História, uma só paixão

10 de novembro de 2013

O Dono da América e o suposto campeão Nacional

- Olá, amigo. Talvez o Cruzeiro leve o título hoje, não é?
- Sim. Já comprei o uniforme azul pros meus filhos. Até que enfim vou me livrar dos foguetes contra o Estudiantes em 2009, Ipatinga em 2010, América em 2012, Mineiro 2013, Newell's e Olimpia em 2013.
- Você se esqueceu do Tijuana, amigo.
- Não, esses aí eu soltei antes da hora.
- Você me disse dos uniformes pros seus filhos. Até hoje não os apresentou o Cruzeiro?
- Claro que não. Confesso que às vezes eu sinto vergonha de vestir a camisa azul. Nós tentamos tomar o Mineirão do GALO e só esse ano vocês já foram duas vezes campeões lá dentro. 
- Fomos mesmo. Que Libertadores mais linda a nossa! Victor, ou melhor, São Victor, operando milagres. Aquela perna esquerda que salvou a vida de todos nós. A cabeçada certeira de Leonardo Silva... Tudo decidido de última hora! Ninguém sequer arredava os pés do estádio. 
- Apesar de ser cruzeirense, admito que nunca vi uma festa mais linda que a de vocês.
- Já estava escrito que era nossa, amigo. Até o Guilherme marcou! 
- Apesar de sermos Bi, nós somos fregueses de vocês. Isso me aborrece. Vocês levam mais gente ao estádio, vocês têm mais torcedores, vocês já caíram pra série B e ainda não abaixaram a cabeça. Diferente de nós, que ficamos no sofá e só depois de termos mais de quatro partidas para fazermos três pontos, aparecemos. 
- Nós aplicamos 9 x 2, o maior placar da história do Clássico.
- Não vale, éramos Yale!
- Mas por que contam o Bi, se nessa época vocês também eram Yale?
- Ora essa, foi reconhecido pela CBF!
- A CBF, vulgo CBD da época, também reconheceu que vocês caíram pra segunda divisão do Campeonato Mineiro. Por que não dizem isso?
- Por que nós éramos Yale, já disse!
- Meu caro, eu nunca teria vergonha de vestir o meu preto e branco. Não necessitávamos dessa Libertadores para sairmos de casa com a bandeira do Atlético. Nunca precisamos de títulos para sermos reconhecidos. Caímos e hoje estamos honrando o “Vingador” do nosso Hino.
- Eu preciso desse Brasileiro, não aguento mais ficar em Minas Gerais. É atleticano pra tudo quanto é lado! Mesmo que a competição seja ridícula, o campeonato menos disputado, nós precisamos!
- Boa sorte. Só isso! É por essas e outras que o meu GALO sempre será maior. A minha torcida merecia o título, não precisava dele para provarmos o quanto somos grandes, diferente de vocês. 

Compartilhe com seus amigos:
Sobre o Autor:
Thaís de Lima

Thaís de Lima

Portadora de sangue preto e branco.

Um comentário:

  1. será que a pessoa que escreveu esse texto realmente acredita no que esvcreveu? será que ela esqueceu de tomar o remedinho dela?

    ResponderExcluir

Redes Sociais

Total de visualizações de página

Arquivo do blog

Receba novidades por e-mail

Copyright © Galo Forever Published By Gooyaabi Templates | Powered By Blogger

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com