Uma História, uma só paixão

13 de março de 2014

Galo cede empate ao Nacional do Paraguai com lance de pênalti duvidoso

Foto: AFP
Não foi o resultado esperado pelo treinador Paulo Autuori, muito menos pela equipe do Atlético. No estádio Antonio Aranda, e Ciudad del Este, no Paraguai, o Galo cedeu o empate, por 2 a 2, ao Nacional aos 41 minutos do segundo tempo. O time alvinegro começou mal a partida e terminou mal.
Com sete pontos, o Galo manteve o primeiro lugar do Grupo 4 na Libertadores. Mas o time perdeu a chance de disparar na ponta após a derrota do Santa Fé para o Zamora. Ficando os dois clubes com 3 pontos e o Nacional que, após o empate, soma 4.
O time não se encontrava em campo. Foram 20 minutos desastrosos para o Atlético. A defesa se complicava na saída de bola e no posicionamento. Melgarejo, quase abriu o placar, as três minutos, após roubar a bola de Josué.
Já as jogadas do alvinegro, no ataque, não se encaixavam. Ofensivamente, o time se portava individualmente com lances de Fernandinho. Em um deles, aos cinco minutos, o atacante deixou pra trás vários adversários e sofreu uma falta na entrada da área. Ronaldinho cobrou e o goleiro evitou com as pontas dos dedos.
O Galo voltou a falhar na marcação aos oito minutos e o Nacional abriu o placar. Melgarejo recebeu passe de Bareiro na área e bateu rasteiro na saída de Victor: 1 a 0.
Os vacilos continuaram. Aos 16 minutos, Toraloes finalizou de cabeça no travessão do goleiro Victor.
A partir dos 20 minutos, o Atlético acordou. E empatou o jogo, depois que Ronaldinho deu assistência para Josué dominar e chutar: 1 a 1. A virada saiu aos 26. Dátolo fez boa jogada, invadiu a área e cruzou para Jô, impedido, fazer 2 a 1. Com esse gol, atacante superou Guilherme e se tornou o maior artilheiro do clube em Libertadores, com 10 tentos.
Na etapa final, o Atlético acertou o posicionamento defensivo. O Nacional teve dificuldades para sair jogando.
No ataque, o Galo optou por esperar o momento de contra-atacar. As chances foram poucas. Aos 17 minutos, Ronaldinho cobrou falta na área e Leonardo Silva cabeceou para a defesa de Ignacio Don. Aos 26, Fernandinho arrancou, passou por dois, mas isolou na hora de concluir.
Nos 15 minutos finais, o Atlético recuou muito. Perdeu o meio-campo. Rifou bolas. À base da bola na área, o Nacional pressionou. A defesa do Galo teve trabalho. Passou sufoco.
Aos 39, Tardelli teve a chance de tranquilizar o jogo. Ele avançou livre, mas tocou em cima do goleiro. No lance seguinte, em outra bola na área, o árbitro marcou toque de mão de Otamendi. Pênalti duvidoso. Torales bateu e deixou tudo igual: 2 a 2.


Galo e Nacional-PAR voltam a campo, pela Taça Libertadores, na próxima quarta feira, no Independência, às 19h45.

Compartilhe com seus amigos:
Sobre o Autor:
Ana Paula Xavier

Ana Paula Xavier

Escritora do Galo Forever. Fanática pelo CAM. Adoro minha família e amigos. Personalidade forte.

Um comentário:

Redes Sociais

Total de visualizações de página

Arquivo do blog

Receba novidades por e-mail

Copyright © Galo Forever Published By Gooyaabi Templates | Powered By Blogger

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com