Uma História, uma só paixão

26 de abril de 2014

Homenagem aos eternos goleiros do Galo

Ao longo dos anos, muitos goleiros vestiram o manto alvinegro, foram diversas defesas que marcaram época e muitas alegrias dadas aos torcedores, afinal de contas, no gol do Atlético já passou um atleta chamado Milagres, e diversos "santos", como alguns são considerados. Alguns goleiros tem nomes incomuns, alguns impronunciáveis, teve de tudo, alguns exemplos são Galileo Galilei Percovich, mais conhecido como Leo Percovich, Hiran Spagnol, Ladislao Mazurkiewicz, Lee, Marcial e Sérvulo, a confusão é tanta que o Galo teve um arqueiro chamado Omero Pieri, cujo apelido era Espanhol, mas era nascido na Itália. Por falar em nomes de goleiro, logo me lembro de Fábio Costa, contrato quando o clube decidiu fazer uma homenagem ao arqueiro rival.

Kafunda, Mazurkiewicz, João Leite, Taffarel, Velloso, Diego Alves e Victor.

Dentre os que mais se destacaram defendendo o gol do Atlético alguns serão citados aqui, infelizmente não tem como citar todos, mas a gratidão da Massa alvinegra por esses grandes atletas que marcaram época, e fizeram história no Galo, será eterna.

Kafunga
Começaremos com Olavo Leite Bastos, talvez esse nome não seja muito familiar, mas se disser que é o Kafunga, todos lembrarão. Atuou pelo Galo entre 1935 e 1954, titular, foi um dos responsáveis pelo título de Campeão do Gelo, quando o clube saiu em excursão pela Europa e enfrentou grandes clubes. Como goleiro, foram 335 jogos, 208 vitórias, 10 Campeonatos Mineiros, além de campeão dos Campeões em 1937, foram quase 20 anos pelo Galo. Em 1961 foi treinador do clube e disputou 61 jogos, vencendo 35.

Mazurkiewicz
De 1972 a 1974, Ladislao Mazurkiewicz, ou Mazurka, como preferir, foi responsável pelas defesas. Teve sua chegada um pouco conturbada e quase não acertou com o Galo. Atuou por grandes clubes da América, e foi goleiro da seleção Uruguaia. Foram 89 partidas e 42 vitórias, atuou nas copas de 66 e 70.


João Leite
O jogador que mais atuou pelo Galo também era goleiro, João Leite da Silva Neto, atuou por 684 partidas, sofreu apenas 453 gols, pelo Galo foram 413 vitórias e apenas 95 derrotas, 11 Campeonatos Mineiros foram conquistados além de ter sido campeão da Copa Conmebol de 1992. O ídolo João Leite tinha o apelido de "Goleiro de Deus", pelo fato de entrar em campo carregando um Bíblia, e em seguida entregar a algum atleta, adversário ou não.
Taffarel

"El el el, sai que é sua Taffarel", assim que Taffarel foi recepcionado pela torcida alvinegra ao chegar em Belo Horizonte no ano de 1995, na época, foi o atleta da sua posição mais caro contratado por um clube brasileiro, o Atlético pagou 1,3 milhões ao Parma da Itália. Tanto investimento não foi decepcionado em campo, tornou-se ídolo no clube onde atuou por 191 partidas e venceu 105. Foi campeão Mineiro de 1995 e da copa Conmebol de 1997.

Velloso
Wágner Fernando Velloso, que chegou ao Galo em 1999 com a difícil missão de substituir Taffarel, logo se firmou no gol, Campeão Mineiro de 2000, deixou o Glorioso em 2004, após 231 partidas conquistando 117 vitórias.


Diego Alves
Diego Alves também foi um grande goleiro que passou pelo Galo, atualmente, defende o Valência da Espanha, chegou ainda nas categorias de base e estreou como profissional em 2005. Venceu o Campeonato Brasileiro série B de 2006 e foi campeão Mineiro de 2007, foram 61 partidas e 32 vitórias.

Victor
Após a saída de Diego Alves para o futebol espanhol, ficamos um tempo sem aquele goleiro que trouxesse segurança para os torcedores, foi quando Kalil decidiu contratar São Victor, que estava no Grêmio. Atual goleiro do Galo, Victor chegou em Junho de 2012, anunciado no Twitter do presidente e chegou com um contrato de 5 anos. Grande responsável pelo título de Campeão da Libertadores de 2013, Victor passou a ser considerado santo pelos torcedores após defender, aos 46 minutos do segundo tempo, o pênalti cobrado por Riascos, da equipe do Tijuana do México. Caso fosse gol, o Atlético estaria eliminado. O impossível aconteceu diante dos olhos de milhares de torcedores. Na semi-final da competição, São Victor fez outro milagre e defendeu, na disputa de pênaltis a cobrança de Maxí Rodriguez, a defesa levou o clube às finais que terminou com outra disputa de pênaltis, o arqueiro defendeu a primeira cobrança e por fim, o atleta do Olímpia acertou a trave na cobrança que deu o título ao Galo, Victor ainda conquistou o troféu de melhor goleiro da competição.

Tantos atletas passaram pelo gol alvinegro, ajudando a construir uma história rica em glórias e com tantas alegrias dados aos torcedores. Hoje, dia 26/04 é considerado Dia do Goleiro e aí fica nossa homenagem em forma de agradecimento a todos os atletas que defenderam essa posição que é considerada uma das mais difíceis do futebol. ObriGalo a todos esses atletas.
Sobre o Autor:
Douglas Pereira

Douglas Pereira

Gaaalllllloooooooooo

0 comentário(s):

Postar um comentário

Redes Sociais

Total de visualizações de página

Arquivo do blog

Receba novidades por e-mail

Copyright © Galo Forever Published By Gooyaabi Templates | Powered By Blogger

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com