Uma História, uma só paixão

5 de maio de 2015

O Rei Das Alterosas

Não adianta, Minas Gerais é e sempre será do nosso gigante Clube Atlético Mineiro, que surpreende até quem desacredita em ajuda divida durante os jogos, vai falar o que depois que viu o Jô marcando o gol do título no último fim de semana ? Vai pensar que foi o ET de Varginha ? Talvez, mas eu prefiro acreditar que foi a competência aliada a sorte, e uma ponta de ajudinha divina.

O Galo teve muitos momentos instáveis no jogo, foi displicentes em muitos lances, em outros a ansiedade atrapalhava e deixava o time nervoso e afobado, criava mais na vontade do que na técnica, mais na raça do que no toque de bola refinado de Dátolo, Luan e Rafael Carioca. No ataque Lucas Pratto teve pouco espaço para se desvencilhar da marcação da Caldense, que marcava forte e corria como deveria claro, por ser a final da vida de muitos ali.

Já no segundo tempo o senhor Levir Culpi fez duas substituições de cara, e foi de cara que também agradei das mudanças do nosso treinador, saíram Leandro Donizete e Carlos, para as entradas de Giovanni Augusto e Thiago Ribeiro, o primeiro começou a 100km por hora, pilhado e ganhando as disputas de bola em praticamente todos os lances, além de saber conduzir o time ao ataque e distribuir o jogo bem como já sabemos que ele é capaz. Thiago Ribeiro começou mais discreto, jogando mais pela ponta esquerda as vezes achei ele um pouco isolado, aos poucos foi entrando no jogo e se encontrando em campo.


O time ai jogava melhor, tocava mais a bola e conseguia chegar com mais facilidade ao gol adversário, sem tanto perigo, é verdade, mas tendo criatividade era questão de tempo para nosso gol sair, estava apenas amadurecendo naquelas jogadas, eis que aos 11 minutos da etapa final, nosso lateral mortal do Marcos Rocha atacou a Veterana, com desvio de Pratto na primeira trave, deixando Thiago Ribeiro com estrela para só empurrar para as redes.Mas quando pensava que haveria a tranquilidade, sem demorar muito a Caldense foi para o ataque e numa falta de longa distância, numa boa cobrança do bom lateral esquerdo Rafael Estevam, nosso Santo deu rebote e Luiz Eduardo aproveitou, 1 a 1 e volta ao sofrimento de ter que correr atrás do placar.

Mas sorte do Galo que tem um banco privilegiado, e atendendo a um pedido do craque Lucas Pratto e do nosso eterno presidente Alexandre Kalil, Levir chama Jô, que entrou no jogo e demonstrando raça e luta em cada lance, conseguiu ser coroado com o gol do título e a redenção por voltar a balançar as redes após mais de um ano sem marcar gols, e fazendo o Galo mais uma vez campeão Mineiro, Parabéns Galo, que esse título nos empurre a mais outros tão grandes quanto!

Deixar aqui também os meus parabéns aos jogadores e comissão técnica da Caldense pela grande campanha que fizeram no estadual deste ano, provando ainda mais que folha salarial magra não trás tanta incapacidade assim aos times, e fazer valer a luta e garra dentro de campo contra o Galo, já que seu arquirrival e freguês não foi capaz de novamente dar pressão.
Compartilhe com seus amigos:
Sobre o Autor:
Gustavo Chaves

Gustavo Chaves

Um comentário:

  1. O "Eu acredito ! do Atleticano.
    O que é o Eu acredito ?
    É um mero caso de sorte.
    É um grito de desespero.
    Ou é simplesmente um caso clássico de insanidade !
    Não caros amigos é puramente e simplesmente um ato de fé.
    Fé ? Explico, antes que todas as correntes religiosas me crucifiquem. O que é a fé senão um ato de crer em algo. Muitas vezes a crença das pessoas está relacionada no alcance de causas impossíveis, exatamente como na crença do atleticano.
    O atleticano sempre teve fé que grandes conquistas viriam, mesmo após longos anos de espera.
    E não me digam que o eu acredito surgiu apenas durante a libertadores 2013. O atleticano sempre acreditou. Tanto que a torcida sempre se faz presente, seja para a disputa de uma partida decisiva de final de campeonato ou na briga para fugir do rebaixamento. Ele simplesmente acredita.
    Este tal de"Eu acredito", tão desdenhado por muitas torcidas, como fizeram o Olímpia e a sus torcida " com o rei na barriga", Flamengo e a tradicional arrogância, Corinthians e a "dancinha de Mano", Cruzeiro e quarta feira que nunca chega e agora até o ET que tentou abudzir 106 anos de história.
    Observando a repercussão do último jogo contra o Internacional, pude ver que o filme de repete, tanto que imprensa, jogadores, diretores e até torcida vem tentando transformar o "Eu acredito" em motivo de chacota.
    Sabe o que é mais interessante em tudo isto ? É que Eu acredito ! E sei que toda a massa atleticana acredita. Próxima Quarta feira entraremos em campo para uma guerra em um mar vermelho. E mesmo que a torcida rival tente a plenos pulmões abafar o grito de Eu acredito do atleticano a tentativa será em vão, pois os jogadores sabem que o grito entoado pela torcida não é produzido pelas cordas vocais e sim pela alma atleticana.
    Com fé em Deus tudo é possível e para o atleticano em campo o pensamento é o mesmo.
    logo finalizo dizendo que mesmo que a classificação não venha nesta quarta, eu sempre continuarei acreditando, pois aqui é galo porra ! E "Eu acredito !", graças a Deus.
    Fabricio B. D

    ResponderExcluir

Redes Sociais

Total de visualizações de página

Arquivo do blog

Receba novidades por e-mail

Copyright © Galo Forever Published By Gooyaabi Templates | Powered By Blogger

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com