Uma História, uma só paixão

6 de junho de 2015

Hoje é dia de Clássico!

FOTO: GOOGLE IMAGENS

O clássico deste sábado, válido pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro, vai contribuir ainda mais para a história de Atlético e Cruzeiro. Capítulos marcantes serão escritos pelos arquirrivais.
Quando a bola rolar, às 18h30, o Galo completará 100 jogos no novo Independência. A partida centenária é mais que uma marca. Ela carrega um aproveitamento excelente do time, acima dos 70%, coroado com grandes triunfos e personagens, como o goleiro Victor, santificado pelos torcedores após o “milagre do Horto” na Libertadores de 2013.
Outro camisa 1, Fábio alcançará um posto histórico, que se tornará exclusivo no jogo seguinte e dificilmente será superado. Neste sábado, o goleiro vai igualar o feito de Zé Carlos como o atleta que mais vezes defendeu a camisa celeste, com 633 partidas em um currículo recheado de grandes conquistas, como o bicampeonato brasileiro.
O novo Independência, inaugurado em 2012, virou a casa do Atlético. E para festejar os 100 jogos no estádio, um clássico. Na bagagem alvinegra, números invejáveis: 69 vitórias, 24 empates e apenas seis derrotas, garantindo um aproveitamento de 77,77% dos pontos.
O Cruzeiro tem capítulo especial nesse retrospecto. O arquirrival foi o clube que o Galo mais vezes enfrentou e derrotou no Horto. Em nove confrontos, foram cinco vitórias atleticanas e quatro empates.
O Independência contribuiu muito para o Atlético impor ao Cruzeiro uma série de invencibilidade que já dura 11 jogos, superada apenas pelas sequências invictas construídas pela Raposa entre 2007 e 2009 (12 partidas) e pelo Galo entre 1985 e 1987 (13 confrontos).
Para defender esses números, o Alvinegro conta com o bom momento do time. A eliminação na Libertadores foi rapidamente absorvida e o Atlético tem apresentado bom futebol no Campeonato Brasileiro. Foram três goleadas (4 a 1 no Fluminense e no Avaí e 3 a 0 no Vasco), um empate com o time reserva em campo (2 a 2 com o Palmeiras) e uma derrota (1 a 0 para o Atlético-PR).
A aposta do Galo é no futebol ofensivo. O técnico Levir Culpi tem escalado a equipe com apenas um volante de ofício. A dedicação tática e qualidade técnica resultaram no ataque mais positivo do Brasileirão, com 13 gols marcados (média de 2,6 por jogo).
As opções para encarar o Cruzeiro aumentaram. O armador Dátolo, poupado na rodada passada, e o atacante Guilherme, livre de lesão e que vinha se dedicando ao condicionamento físico, estão novamente nos planos de Levir.
Do lado cruzeirense, a esperança de reação no Campeonato Brasileiro atende pelo nome de Vanderlei Luxemburgo. O técnico com passagem vitoriosa pela Toca da Raposa – conquistou a Tríplice Coroa em 2003 – reestreou com vitória sobre o Flamengo, na última quarta-feira, por 1 a 0. Apesar do triunfo, a atuação celeste ficou aquém do esperado pela torcida.
Diante do pouco tempo para preparar a equipe, Vanderlei Luxemburgo utilizou o treinamento desta sexta-feira para os últimos ajustes. A atividade foi fechada e, em entrevista coletiva, o treinador não divulgou a escalação. Com apenas uma vitória em cinco jogos – nas primeiras rodadas, o time reserva foi escalado –, o Cruzeiro busca reagir no Brasileiro para sonhar com as primeiras colocações.
Luxa terá alguns desfalques importantes para o duelo com o Atlético. O volante Henrique sofreu uma pancada no pé e dificilmente estará em campo. Além dele, os titulares Mena e De Arrascaeta também perderão o clássico, já que estão com as seleções chilena e uruguaia, respectivamente, para a disputa da Copa América.
Outra baixa importante que tem limitado as opções da comissão técnica há alguns dias é o atacante Judivan, que serve à Seleção Brasileira sub-20. O lateral Fabrício segue no departamento médico. Desta forma, a lateral esquerda será novamente ocupada por Pará, terceira opção do setor. Embora tenha deixado o treinamento dessa sexta com dores na coxa, ele disse que irá para o jogo.
Independentemente do resultado do clássico, a tarde deste sábado será especial para um jogador do Cruzeiro. O goleiro Fábio entrará para a história do clube ao se igualar a Zé Carlos, como jogador que mais vezes vestiu a camisa estrelada em todos os tempos: 633 jogos cada.

Escalações

Atlético: Victor; Patric, Leonardo Silva, Jemerson e Douglas Santos; Rafael Carioca, Dátolo, Luan, Giovanni Augusto e Thiago Ribeiro; Lucas Pratto. Técnico: Levir Culpi

Cruzeiro: Fábio; Mayke, Bruno Rodrigo, Manoel e Pará; Willians e Charles; Marquinhos, Gabriel Xavier e Willian; Leandro Damião. Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Compartilhe com seus amigos:
Sobre o Autor:
Ana Paula Xavier

Ana Paula Xavier

Escritora do Galo Forever. Fanática pelo CAM. Adoro minha família e amigos. Personalidade forte.

0 comentário(s):

Postar um comentário

Redes Sociais

Total de visualizações de página

Arquivo do blog

Receba novidades por e-mail

Copyright © Galo Forever Published By Gooyaabi Templates | Powered By Blogger

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com