Uma História, uma só paixão

3 de setembro de 2015

Galo perde para Furacão, em jogo com lances polêmicos e confusão na arbitragem

FOTO: Google Imagens

O Atlético criou grandes chances, parou na falta de pontaria dos atacantes e na grande atuação do goleiro Weverton. O resultado de tantas falhas ofensivas, combinadas com a atuação confusa da arbitragem de Marcelo de Lima Henrique, foi a derrota por 1 a 0 para o Atlético-PR, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro, no Independência.
Mas esta não foi a única polêmica da partida, já que o Galo dominava o primeiro tempo até a expulsão de Marcos Rocha, por reclamação. Os auxiliares Elan Viera de Souza e Marlon Rafael também não passaram despercebidos, marcando uma infinidade de impedimentos contra os donos da casa, alguns também polêmicos. Irados, os torcedores do Galo gritaram até que o árbitro era corintiano, e passaram a aplaudir e ironizar cada marcação contrária ao time. Alguns mais exaltados arremessaram objetivos em campo: um pé de tênis e alguns copos plásticos foram recolhidos pela equipe de arbitragem.
Com a derrota, o Galo fica mais longe da liderança do Campeonato Brasileiro. O Corinthians venceu o Fluminense por 2 a 0 e abriu sete pontos de vantagem para o Atlético, que permanece com 42. Já o Furacão sobe para 36 pontos termina a rodada no G4.
Na próxima rodada, o Atlético visita o desesperado Vasco em busca de reabilitação, no sábado, às 18h30, no Maracanã. No mesmo dia, o Atlético-PR recebe o Joinville, às 21h, na Arena da Baixada.
O Furacão começou o jogo de forma ousada. Ao invés de esperar o Atlético, partiu para cima. Logo aos 2 minutos, Ewandro chutou de fora da área e Victor fez boa defesa. O time paranaense não deixava as principais armas alvinegras funcionarem e o Galo foi inofensivo no começo da etapa inicial. A primeira chance veio apenas aos 15 minutos, quando Leonardo Silva cabeceou para boa defesa de Weverton.

O confronto foi bem equilibrado no meio-campo e o Rubro-Negro se aproveitava nos espaços do lado direito da defesa alvinegra. O Galo cresceu a partir dos 30 minutos de jogo. Na primeira chance, aos 33, Thiago Ribeiro recebeu de Giovanni Augusto e finalizou. Deivid pulou na bola, que ainda bateu no travessão, para salvar o Furacão.
A torcida alvinegra empolgou e o Galo foi com tudo. Pratto e Jemerson tiveram chances claras de marcar, mas não acertaram o alvo. Quando conseguiu finalizar no gol, o argentino parou em grande defesa do goleiro do Furacão.
No fim do primeiro tempo, os jogadores do Atlético ficaram de cabeça quente com a arbitragem de Marcelo de Lima Henrique e seus assistentes. Foram dois impedimentos marcados de forma irregular, que prejudicaram chances claras de gols do Galo. Luan, por reclamação, acabou amarelado. A ira tomou conta dos atleticanos e Marcos Rocha, que já tinha cartão, reclamou de uma falta não marcada e acabou expulso. A torcida xingou muito o trio de árbitros aos gritos de ‘vergonha, vergonha, vergonha’.
Mesmo com um jogador a menos em campo, o Atlético começou a etapa final pressionando. Pratto perdeu grande chance. O Furacão respondeu com finalizações de Ewandro e Marcos Guilherme, mas Victor apareceu bem nas duas situações. A história do jogo mudou aos 12 minutos.
Após lançamento de Walter, Ewandro recebeu e tentou a finalização. Victor saiu do gol para evitar o chute e derrubou o atacante, que deixou a perna, e acabou cometendo o pênalti. Na cobrança, Walter bateu forte, no canto de Victor, e abriu o placar no Horto: 1 a 0.



O Atlético se cansou e o Furacão quase matou o jogo no contra-ataque. Daniel Hernandez e Walter quase marcaram. Os paranaenses reclamaram de pênalti não marcado em Nikão, que foi tocado em lance com Leandro Donizete. Nos acréscimos, Luan tabelou com Patric e perdeu chance incrível, na última chance de empatar o confronto.
Se o clima entre torcida e arbitragem já não era bom, tornou-se insustentável. Gritos de "juiz é corintiano", "Corinthians" e até pedidos para tirar o time de campo foram ouvidos. Pilhados, os comandados de Levir correram e tentaram chegar ao empate de todas as maneiras, mas numa partida consciente taticamente, o Atlético-PR confirmou o triunfo.



Compartilhe com seus amigos:
Sobre o Autor:
Ana Paula Xavier

Ana Paula Xavier

Escritora do Galo Forever. Fanática pelo CAM. Adoro minha família e amigos. Personalidade forte.

0 comentário(s):

Postar um comentário

Redes Sociais

Total de visualizações de página

Arquivo do blog

Receba novidades por e-mail

Copyright © Galo Forever Published By Gooyaabi Templates | Powered By Blogger

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com