Uma História, uma só paixão

14 de setembro de 2015

Victor defende pênalti no fim e clássico termina em igualdade no Mineirão

FOTO: Gabriel Castro / Eleven Brasil

Um clássico que foi do pobre tecnicamente ao emocionante no segundo tempo. Assim, Cruzeiro e Atlético se apresentaram no empate por 1 a 1 no Mineirão. O resultado não foi bom para nenhum dos dois na tabela de classificação. A Raposa segue perto da zona da degola, com 29 pontos, dois acima do Z4. O Alvinegro viu o Corinthians abrir vantagem de cinco pontos no topo do Brasileiro.
O primeiro tempo teve abuso de erros de passe, poucas finalizações e apenas um lance que agitou os torcedores. O time celeste abriu o placar após uma falha do goleiro Victor, que “aceitou” por baixo das pernas a finalização de Willian. Porém, o camisa 1 do Galo se tornou herói no fim ao defender um pênalti, aos 44 minutos, do próprio Willian. O Galo havia empatado um minuto antes, com o garoto Carlos, aproveitando cobrança de escanteio.
Como tem sido de praxe no Brasileiro, o embate no Gigante da Pampulha não fugiu das polêmicas de arbitragem. A Raposa pediu pênalti de Leonardo Silva na primeira etapa, quando a bola bateu na mão do zagueiro após cabeçada de Manoel. Leandro Pedro Vuaden interpretou como jogada normal. Já no segundo tempo, o Galo é que teve motivos para reclamar, pois o pênalti marcado a favor do time celeste nasceu em uma falta cometida fora da área.
Reclamações não foram a única tônica do clássico, que ganhou dramaticidade no segundo tempo. O lateral Mena, do Cruzeiro, foi expulso, aos sete minutos, e o Atlético passou a ter mais posse de bola e pressionar, com méritos defensivos para a equipe de Mano Menezes. Antes de defender o tiro livre de Willian, Victor já havia se redimido ao bloquear finalização clara de Alisson, que teve oportunidade de fazer o segundo. A partida terminou no Mineirão com um empate eletrizante, com direito a gol no fim, pênalti defendido e provocações dos dois lados.



Compartilhe com seus amigos:
Sobre o Autor:
Ana Paula Xavier

Ana Paula Xavier

Escritora do Galo Forever. Fanática pelo CAM. Adoro minha família e amigos. Personalidade forte.

Um comentário:

  1. Bem verdade que foi uma posse de bola meio sem graça essa do Galo. Porém, lá no finalzinho, a tremedeira de sempre nos proporcionaria a alegria do dia! http://www.euvistoacamisadogalo.com.br/2015/09/metafora-do-jogo-segundo-turno-do.html

    ResponderExcluir

Redes Sociais

Total de visualizações de página

Arquivo do blog

Receba novidades por e-mail

Copyright © Galo Forever Published By Gooyaabi Templates | Powered By Blogger

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com